quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

(Nesse natal e final de ano que tal nos refrescarmos com uma deliciosa Salada de Camarão? Essa sugestão foi dada pela Chef Heloísa Bacellar ao site da Folha.)
Resolvi posta-la aqui, obviamente depois que experimentei a receita e obtive aprovação total da família.  Fiz algumas adaptações, claro! Mas ficou maravilhosa!

Ingredientes:

2 ½ xícaras de água;

4 saquinhos de chá de erva-cidreira;

500 g de camarão médio, limpo e sem casca;

1 pepino japonês em pedacinhos;

½ xícara de pimentão vermelho em cubinho;

1 manga madura em cubinhos;

2 cebolas roxas médias em fatias finas;

1 dente de alho picadinho;

½ xícara de uma mistura de folhas picadas de salsinha, coentro, hortelã e manjericão picadas;

1 pimenta-vermelha dedo-de-moça em rodelinhas finas (ou a gosto);

1 ½ colher (sopa) de nam pla (molho de peixe tailandês – na falta dele, use shoyu);

1 colher (chá) de açúcar mascavo;

1/3 de xícara de suco de limão;

2 colheres (sopa) de óleo de gergelim;

Sal.

Preparo

- Ferva a água e junte o chá;
- Desligue o fogo e cubra. Deixe em infusão por 15 minutos;
- Descarte os saquinhos;
- Junte 1 colher (chá) de sal e o camarão;
- Aqueça de novo e deixe ferver por, no máximo, 3 minutos, só até o camarão mudar de cor;
- Descarte o chá;
- Passe o camarão para uma tigela, cubra e gele por umas 2 horas;
- Na hora de servir, junte o pepino, o pimentão, a manga, a cebola, o alho, as ervas, a pimenta, o nam pla, o açúcar, o limão e o óleo de gergelim;
- Misture bem e acerte o sal. Sirva em seguida.

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Cozinha Árabe


A definição da origem da cozinha árabe é uma tarefa complicada. Alguns acreditam que foi das civilizações que povoaram a região da mesopotâmia, entre os rios Tigre e Eufrates, que se propagou para países vizinhos como Egito, Creta e Pérsia. Nesses rios, além da prática da pesca, já eram usados sistemas de irrigação que cultivavam legumes, cereais e frutas. Da criação do gado aproveitavam-se muito o leite para fazer a coalhada e outros derivados.
As famílias árabes passaram então a cultivar seus costumes de geração a geração persistentemente para que tudo não fosse perdido. Cada família, portanto, possui uma versão única de receitas.
Ao contrário do que muitos pensam, não é só de esfihas e quibes crus que se faz uma boa refeição árabe.
As famosas especiarias do Oriente fazem toda a diferença dessa culinária.
Além do universo de temperos, a grande marca dessa culinária, combinam-se a abundância de frutas secas, verduras frescas, grãos, nozes, carnes e azeite.
Essa grande variedade de alimentos e especiarias torna a culinária árabe muito saborosa e nutritiva
A fartura é uma característica da mesa árabe, motivo pelo qual as festas árabes são muito bem vistas.
Os árabes gostam de receber bem, com mesas fartas de comida, o tempo todo.
Para os árabes, o comer bem dignifica a existência.
Outra característica da culinária árabe é a praticidade de algumas preparações. As receitas muitas vezes são fáceis de serem preparadas, mas jamais perdem a alquimia dos sabores.

Fonte: bbel.uol.com.br

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Umas Receitinhas Indianas...








Daal Masala   (lentilhas cozidas)

Ingredientes;

250 g de lentilhas limpas e demolhada durante 3 horas
100 g de cebola em cubos bem pequenos
6 dentes de alho picadinhos
1 colher de chá de gengibre fresco picado
1 colher de chá de cominho em pó
1/2 colher de chá de cominhos em grãos, sem ser esmagado
1/2 colher de chá de páprica (picante ou doce)
1 maço de coentros picado (ou a gosto)
6 colheres de sopa de óleo
1/2 colher de chá de açafrão em pó
4 xícaras de chá de água
Sal a gosto

Modo de preparo;

1. Coloque a lentilha para cozinhar ligeiramente na água sem sal
2. Aqueça o óleo numa panela e junte ½ colher de chá do cominho em grãos e deixe esquentar por 30 segundos.
3. Acrescenta o alho e o gengibre espere dourar, só então coloque a cebola em cubinhos.
4. Quando ela estiver transparente, junta a lentilha escorrida, o restante dos cominhos, o açafrão e a água.
5. Tampe a panela e espere cozinhar até a lentilha ficar macia.
6. Acerte o sal descubra a panela para secar um pouco.
7. Acrescenta a páprica e os coentros




Palak Panir    (espinafre com ricota)

Ingredientes:

01 maço de espinafres
06 a 10 cubos de ricota (daquelas bem firmes)
06 dentes de alho picadinhos
01 colher de chá de pimenta branca
01 colher de chá de noz moscada ralada
01 colher de chá de cominho levemente esmagado
01 colher de chá de coentro (o pó da semente)
04 colheres de sopa de óleo
01 colher de sopa de maizena para engrossar
Sal a gosto

Modo de Preparo:
1. Lave o espinafre e corte as folhas bem picadinhas. Leve ao fogo com água para uma breve fervura. Coe. Em seguida bata no liquidificador sem água.
2. Refogue o queijo cuidadosamente até dourar todas as partes.
3. Em seguida coloque o alho picado e deixe-o dourar também.
4. Nesta mistura coloque o espinafre que já foi previamente cozido e batido no liquidificar. Deixe cozinhar um pouco, colocando o resto dos ingredientes, inclusive a maizena dissolvida em um pouquinho de água. Mexa bastante até engrossar e se quiser acrescente um pouco de iogurte no final.


Chapati    (pão Indiano)

Ingredientes:
2 xícaras de farinha de trigo
2 xícaras de farinha integral
1 copo de água
½ colher de chá de fermento biológico
¼ copo de óleo
Modo de Preparo:

1. Numa tigela, misture as farinhas, o fermento, a água e o óleo. Trabalhe bem a massa até que não grude nas mãos.  Polvilhe uma superfície lisa com farinha de trigo e trabalhe bem a massa até que fique elástica. Faça uma bola com a massa e deixe descansar por uns 20 minutos.
2. Divida a massa em pequenas porções, abra em discos bem fininhos com um rolo.
3. Aqueça uma frigideira antiaderente, coloque os discos, um por vez, e asse até que inche virando os lados da massa. Para que o pão fique bem tostado, com uma pinça de cozinha coloque massa em contato com a chama do fogo, de um lado e do outro. Este é o segredinho aprendido por Ritinha nas suas andanças pela Índia...

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Uma pausa para um café...

Um café, um chá delicioso, ou, dependendo do clima, um chocolate quente...
O mais importante é a pausa, o momento que dedicamos a esse ritual. Sozinhos ou acompanhados, tomar um café no meio da tarde é uma coisa muito boa.

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Arroz com cominho (Jeera Shawal)



Porções:4
Tempo de preparo (aprox.):  minutos
Estilo: Vegetariano do Norte da Índia 


2  xícaras de arroz crú tipo longo (chamado Basmati na Índia)
2  colheres de sementes de cominho
1  colher de sopa de manteiga ou ghee (manteiga clarificada)
4  xícaras de água
sal e algumas gotas de limão à gosto


Aqueça a manteiga / ghee em uma panela em fogo médio por cerca de 2  minutos.
Adicione as sementes de cominho e frite por 2  minuto(s) até que as sementes estufem.
Acrescente o arroz, suco de limão, água e sal. Misture bem. Deixe levantar fervura em fogo alto. Diminua o fogo, tampe e cozinhe em fogo baixo por 15  minutos até que toda a água evapore.
Sirva quente com qualquer curry de sua preferência.

domingo, 17 de junho de 2012

Quibe Assado De Frango


Ingredientes;
1 kg de peito de frango moído cru
um pouco mais de 1/2 pacote de trigo para quibe
1 cebola grande
3 dentes de alho
1 maço de hortelã
1 xícara de salsinha
2 limões
4 colheres de sopa de azeite de oliva
1 colher de sobremesa de pimenta do reino moída
Sal a gosto (para essa quantidade usei 2 colheres de chá bem cheias)

 Modo de fazer:
Coloque o trigo numa vasilha grande com água filtrada, pois o trigo vai aumentar muito de volume. Deixe hidratar por uns 30min. Durante esse tempo, pode ser necessário acrescentar mais água.
Bata a cebola e o alho num processador, liquidificador ou pique bem pequeno.
Pique a hortelã e a salsinha.
Em outra vasilha grande coloque o frango moído, a mistura do que foi picado, o azeite, a pimenta, o suco do limão e o sal. Misture bem para que o tempero envolva todo o frango.
Escorra o excesso de água do trigo e acrescente aos poucos ao frango, misturando bem.
Unte a assadeira com óleo, coloque o quibe e faça uns cortes profundos para que asse por igual .
Essa quantidade rende uma assadeira 35x24.

Forno médio por 1h30 ou até que esteja dourado por cima e todo assado no meio.

Se preferir, uma receita  lacto-vegetariana, pode substituir o frango e rechear com queijo, tomate, palmito, pimentão... Ou o que sua imaginação ousar!
Experimentei essa iguaria no aniversário de Maúde, feita por Ana Laurenti. Uma delícia! Então pedi a receita e permissão para postar aqui na cozinha das Meninas... Obrigada Ana!
E vocês, experimentem também!

domingo, 20 de maio de 2012

O segredo de Frida Kahlo


Primeiro quero recomendar o livro "O segredo de Frida Kahlo" de Francisco Haghenbeck.
A vida de Frida me fascina, me encanta, e mais uma vez aqui estou, querendo desvendar seus segredos...
Vou postar uma, das suas muitas receitas, que encantaram personalidades como Diego Rivera, Leon Trotski e tantas outras... Receitas guardadas com todo zelo num caderno de capa preta que ela chamava de
 "Livro da Erva Santa".

Molho de anchovas e azeitonas:

200 g de azeitonas verdes fatiadas
01 colher(de chá) de filé de anchova bem picadinho
1/4 de queijo parmesão ralado (creio que seria 100 g)
1/2 xícara de nozes picadasd em pedaços pequenos
01 colher de chá de orégano
03 coleres de chá de manjericão fresco
01 colher de chá de salsinha picada
1/2 xícara de azeite de oliva puro (extra virgem)
Sal e pimenta à gosto.
Misture as azeitonas, a anchova, o queijo parmesão, as nozes, o orégano, o manjericão e a salsinha.
Junte aos poucos o azeite mexendo até obter uma pasta. Deixe repousar por duas horas até que os sabores se misturem bem. Tempre a gosto com sal e pimenta e está pronto o molho que será misturado a uma boa massa!
Convide os amigos como fazia Frida, e compartilhe momentos de amor, paixão, afeto... Regados a uns vinhos generosos e altos papos! Olé!